Muito tem se falado nos últimos anos a respeito de Inteligência Artificial (ou simplesmente, AI). Seu conceito já foi explorado diversas vezes por meios artísticos em filmes e literatura de ficção científica, como é o caso dos clássicos 2001: A Spacetime Odyssey (Stanley Kubrick, 1968) e AI: Inteligência Artificial (Steven Spielberg, 2001), e ultimamente, temos sido impactados a todo momento com notícias de tecnologias desenvolvidas o bastante, capazes de proporcionar a aplicação da inteligência artificial no cotidiano das pessoas. Mas o que, de fato, é inteligência artificial?

Tendência 2018: O que é Inteligência Artificial? Imagem do filme AI: Inteligência Artificial, um clássico de Steven Spielberg, 2001

Filme AI: Inteligência Artificial é um clássico de Steven Spielberg, 2001

 

Apesar de parecer um termo recente, as bases para a inteligência artificial surgiram há milhares de anos, tendo sido discutidas por filósofos como Aristóteles (384 – 322 a.C.), René Descartes (1596 – 1650) e Ramon Lull (1232 – 1315), além de ser um tema bastante explorado em áreas da psicologia, linguística, matemática e biologia. Já a ciência da inteligência artificial iniciou seus trabalhos a partir dos desenvolvimentos tecnológicos durante a Segunda Guerra Mundial, tendo seu nome cunhado em 1956, por John McCarthy.  

Antes de entender o seu conceito, precisamos de início, refletir sobre o que é inteligência, que pode ser definida a partir das suas características, como: a competência de lidar com novas situações, a habilidade de resolver problemas, responder questões, de conceber planos e assim por diante. E apesar da complexidade que envolve o tema, a inteligência artificial envolve utilizar métodos baseados no comportamento inteligente de humanos e outros animais, para solucionar problemas complexos.

 

Ex Machina: a inteligência artificial é inteligente?

Então surge o dilema: como poder afirmar que uma inteligência artificial está realmente sendo inteligente e não apenas realizando funções meramente programadas? A inteligência artificial realmente pensa como um ser humano?

Alan Turing, em 1950, propôs um teste para fornecer uma definição satisfatória do que seria inteligência artificial. Consistia em utilizar um computador, que passaria no teste se um interrogador humano, depois de propor algumas perguntas, não soubesse distinguir se as respostas teriam sido formuladas por uma pessoa ou não. Esse teste é muito bem ilustrado no filme Ex Machina de Alex Garland (2015), em que o robô humanóide Ava tem sua capacidade intelectual e consciência testadas.

Tendência 2018: O que é Inteligência Artificial? Cena do filme Ex Machina de Alex Garland, 2015

Cena do filme Ex Machina de Alex Garland, 2015

 

O teste de Turing resultou em vários programas de computação criados para simular uma interação natural entre pessoas, com o objetivo de aprimorar a compreensão em áreas como o processamento de linguagem. Programar um computador para passar no teste de Turing exige muito trabalho, mas sabe-se que ele deve possuir as seguintes capacidades:

  • Processamento de linguagem natural: permitindo que ele se comunique com pessoas de forma natural;
  • Representação de conhecimento: para que possa armazenar as informações que sabe e as que capta;
  • Raciocínio automatizado: para que possa usar as informações armazenadas com a finalidade de responder perguntas e tirar novas conclusões a partir das informações que recebe;
  • Aprendizado de máquina: para que possa fugir de padrões e se adaptar a novas circunstâncias;

Se o teste for bem sucedido e os resultados positivos, saberemos então que, de fato, a inteligência artificial testada é inteligente. Atualmente, não foi divulgado nenhum sistema de inteligência artificial avançado o suficiente para passar no teste, mas sabemos que a perspectiva é de que, até 2025, isso pode acontecer.

 

Simplificando

O retrato que as obras de ficção científica passam a respeito da inteligência artificial sempre acabam abordando dilemas complexos, alguns com foco nas questões éticas e morais (que é o caso do seriado da HBO, Westworld), conflitos contra a humanidade, ou ainda a dominação do planeta. Mas calma lá, nem tudo é tão complexo assim!

 

Tendência 2018: O que é Inteligência Artificial? Imagem da série Westworld (HBO, 2016)

Série Westworld (HBO, 2016)

 

As aplicações para a inteligência artificial são inúmeras, sendo as mais pesquisadas pelos especialistas da área: jogos, raciocínio automático, sistemas especialistas, compreensão da linguagem, robótica e aprendizagem de máquina.

Toda vez que você pega seu smartphone, ao receber recomendações personalizadas ou resultados relevantes de buscas, já consegue sentir um pouco do que a inteligência artificial pode fazer pelas pessoas. Isso, graças a uma série de tecnologias que, combinadas, fazem a inteligência artificial funcionar. Separar a computação simples da inteligência artificial pode ser feita analisando três fatores principais: big data, modelos de dados e computação com grande potência de processamento com custo acessível.

Tendência 2018: O que é Inteligência Artificial?

A receita da inteligência artificial

 

Além de deixar as escolhas mais inteligentes, a inteligência artificial é capaz de utilizar dados de históricos e machine learning para fazer previsões futuras e identificar probabilidades para resultados. Isso já está inserido no nosso dia-a-dia e, talvez você nem tenha notado, mas já utiliza a AI sem saber:

 

  • Aplicações como os assistentes pessoais no seu smartphone utilizam processamento de voz (ex: Siri);
  • O Facebook utiliza reconhecimento de imagem para recomendar marcações;
  • Recomendações personalizadas feitas pela Amazon utilizam algoritmos de machine learning;
  • O aplicativo Waze prevê as melhores rotas para você e, alguns carros já utilizam AI para evitar engarrafamentos e colisões;
  • Os resultados das buscas do Google, Google Tradutor, Google Fotos e Google Maps também utilizam inteligência artificial;

 

Muitos exemplos podem ser citados ainda, sem falar das inúmeras pesquisas que estão acontecendo neste exato momento para aprimorar a inteligência artificial. Uma coisa é certa: ela está aí e já se instalou no nosso cotidiano. É necessário agora, refletir sobre como poderemos explorar a AI em nossos próximos projetos.

 

Marketing Digital e Inteligência Artificial

Google Analytics

 

Uma ótima ferramenta para entender melhor o público do seu site e mensurar os resultados de marketing é o Google Analytics. Com ela, você pode acompanhar o volume de visitas no seu site, o tempo que o usuário gasta nas páginas e, inclusive, a quantidade de conversões ou de faturamento de uma loja virtual.

 

Tendência 2018: O que é Inteligência Artificial?

 

Otimizar Anúncios

Atualmente, as tecnologias de recomendação já são capazes de analisar milhares de dados e informações sobre o passado em relação às preferências do usuário para sugerir os produtos mais indicados para cada pessoa. Basicamente, isso significa que a inteligência artificial pode prever o que você quer. Com algoritmos de aprendizagem, esse mecanismo pode garantir até 50% mais eficiência nas compras online, com anúncios cada vez mais assertivos e menos invasivos.

 

Reconhecimento de padrões

Sabe o seu filtro anti-spam do e-mail? Ele é um bom exemplo de aplicação do reconhecimento de padrões, baseado nas informações e configurações previamente aplicadas. A sua função, neste caso, é classificar dados fundamentados em conhecimento preliminar e organizá-los por meio de algoritmos. O Google Photos também é outro exemplo, que utiliza reconhecimento facial e que pode também classificar suas imagens em álbuns.

 

Quer aprender mais?

Se interessou pelo tema e quer conhecer mais a fundo? Confira abaixo uma lista que pode te ajudar:

 

Livro –  Entendendo Inteligência Artificial – um Guia Ilustrado, Henry Brighton / Howard Selina

Inteligência artificial não é apenas um conceito ficcional. Meio século de pesquisas acerca da construção de um maquinário inteligente resultou em máquinas que podem vencer o melhor jogador de xadrez humano e em robôs humanoides capazes de andar e interagir conosco. Consciência e meio ambiente, entretanto, são apenas dois dos mais profundos problemas gerados com isso. Até onde exatamente podemos ir na construção de uma máquina inteligente? Ela deve funcionar como uma mente? Deve funcionar como um cérebro? Entendendo Inteligência Artificial esclarece os avanços obtidos neste meio século, desde as bases de Alan Turing até a robótica avançada e a nova inteligência artificial.

 

Vídeo – Past, Present and Future of AI / Machine Learning (Google I/O ’17)

We are in the middle of a major shift in computing that’s transitioning us from a mobile-first world into one that’s AI-first. AI will touch every industry and transform the products and services we use daily. Breakthroughs in machine learning have enabled dramatic improvements in the quality of Google Translate, made your photos easier to organize with Google Photos, and enabled improvements in Search, Maps, YouTube, and more. We’re also sharing the underlying technology with developers and researchers via open-source software such as TensorFlow, academic publications, and a full suite of Cloud machine learning services. Join this session to hear some of Alphabet’s top machine learning experts discuss their cutting-edge research and the opportunities they see ahead.

 

Filme –  Ex Machina de Alex Garland, 2015

Caleb (Domhnall Gleeson), um jovem programador de computadores, ganha um concurso na empresa onde trabalha para passar uma semana na casa de Nathan Bateman (Oscar Isaac), o brilhante e recluso presidente da companhia. Após sua chegada, Caleb percebe que foi o escolhido para participar de um teste com a última criação de Nathan: Ava (Alicia Vikander), uma robô com inteligência artificial. Mas essa criatura se apresenta sofisticada e sedutora de uma forma que ninguém poderia prever, complicando a situação ao ponto que Caleb não sabe mais em quem confiar.