A crise financeira tem deixado muita gente preocupada. Crescimento baixo, instabilidade no câmbio, inflação acima da média, tudo isso cria uma atmosfera de incertezas e um certo pessimismo no mercado. Contudo, as empresas de tecnologia estão andando na contramão da crise. Trata-se de um dos poucos setores com expectativa de crescimento para 2016 e, durante todo esse momento de instabilidade, manteve-se forte, criando inclusive novas vagas de emprego.

Mesmo com uma redução na expectativa de crescimento do mercado de TI no Brasil, de US$ 125 bilhões para US$ 116 bilhões, segundo o Instituto Gartner, o número continua sendo positivo, pois são poucos os setores que continuarão crescendo diante do cenário econômico atual.

 

Isso acontece porque a crise obriga as empresas a buscarem formas de enxugar os custos e aumentar sua produtividade. Esse movimento traz grandes oportunidades de negócio para as empresas do setor, que têm as soluções tecnológicas certas para ajudar outras empresas a enfrentar a crise. A automatização dos processos, por meio de softwares que reduzem custos e substituem processos manuais, burocráticos e operacionais, por processos integrados e dinâmicos, é uma excelente forma de tornar as empresas mais competitivas. São soluções que dão maior segurança, mais produtividade e também oferecem controles mais precisos e indicadores exatos de desempenho.

 

Como aparecer no mercado

Mas, para isso, as empresas de tecnologia precisam mostrar sua solução, se posicionando como autoridade e referência no segmento. Uma ótima alternativa para tal é o inbound marketing ou marketing de atração, que tem um custo menor que o marketing tradicional e ajuda a gerar leads mais qualificados. Não é à toa que, segundo estudo da Content Marketing Institute, 58% das empresas B2B da área de tecnologia pretendem investir em inbound marketing nos próximos anos.

 

Vários motivos levam as empresas de tecnologia a investirem em inbound marketing:

 

  • Mais econômico: com um orçamento de marketing reduzido, é necessário investir da forma mais assertiva possível. Segundo o Mashable, o custo por lead é 32% mais baixo no inbound marketing.
  • Abordagem mais eficiente: em uma estratégia de inbound marketing, sua empresa atrairá a persona com conteúdo relevante e valioso para ela. Sua empresa será encontrada pela sua persona em momento oportuno, e seu conteúdo será melhor recebido.
  • Gera leads mais qualificados: depois que a persona consome seu conteúdo e se interessa pelo assunto, ela voltará a procurar sua empresa e possivelmente deixará informações para contato. A partir daí, sua empresa desenvolve a nutrição do lead, oferecendo ao potencial cliente mais materiais de acordo com seu interesse e maturidade. De acordo com a Forrester Research, as vendas podem aumentar em 50% com a nutrição de leads.

Trata-se de uma estratégia inovadora, que busca seduzir o cliente, apresentando conteúdo de qualidade sobre temas interessantes e que fazem parte do dia a dia do seu potencial cliente. O mundo digital abriu espaço para que as empresas possam compartilhar suas marcas, conhecimento e se posicionar como referência no segmento em que atuam. Para ser encontrada nessa vasta rede de informações, é preciso ter representatividade nos mecanismos de busca, como o Google. Com o inbound marketing, é possível criar estratégias eficazes para atingir relevância, estar bem posicionado nas pesquisas pela internet e estreitar o relacionamento com seu público.

 

Para converter esse volume de acessos em leads, esse modelo integra ferramentas como e-mail marketing, redes sociais, blog, landing pages, entre outras. Portanto, com criatividade e inovação, o setor de tecnologia caminha na contramão da crise financeira, comunicando-se assertivamente com seu cliente e mostrando a ele soluções que o ajudarão a transpor esse período de instabilidade econômica.

 

Sua empresa já investe em Inbound Marketing? Deixe seu comentário e compartilhe suas ideias conosco!