Em meio a toda evolução digital que estamos passando, você não acha que o consumidor ia ficar de fora, né? Nesse momento de mudanças, entra em cena um cara muito descolado, estou falando do neoconsumidor, que surgiu a partir de uma série de novos comportamentos que só são possíveis pelo frenético mundo conectado em que vivemos.

A seguir, vamos explicar um pouquinho quem é esse cara e por que ele deve ser tratado com muito carinhos pelas empresas.

Esse novo consumidor tem três caracteristicas muito bem definidas:

Digital: ele manja de tudo que rola na internet, sabe de tudo que é novidade no setor de tecnologia, está ligado nas atualizações mais recentes dos aplicativos e está com o mundo na palma da sua mão. Sim, com um smartphone apenas ele ultrapassa as barreiras da imaginação.

Multicanal: foi-se o tempo em que usar outdoor e comerciais em rádio e TV eram suficientes para encantar os olhos dos consumidores. Eles querem conteúdo. Eles querem saber para o que tal produto é indicado, o que ele pode fazer tendo esse produto e quais os benefícios (e, por que não, malefícios?) que esse produto/serviço irá lhe proporcionar.

Global: um exemplo bem simples, mas que é o que mais se encaixa na realidade desse novo consumidor global: ele está na sua sala, sentado no seu sofá, assistindo algum telejornal. Ao mesmo tempo, está em uma ligação pelo WhatsApp com seu amigo que mora lá no Havaí. Ou acompanhando o Snapchat do seu cantor favorito em uma turnê pelo mundo. Dá até para conhecer vários lugares de graça! (que máximo!) Lógico que a sensação de prazer não é a mesma, mas a gente finge que é. Sim, ele está ligadinho e sabe tudo que está rolando. O que quer dizer que ele é O CARA.

 

O que mudou?

žSeus hábitos. Só isso. Apenas isso. Ele quer relacionamento e – uma característica muito marcante do novo consumidor – ele quer ser ouvido. E vamos e venhamos, nós precisamos dele, e precisamos ouvir o que ele tem  dizer.

Quando eu falo em relacionamento com o consumidor não estou me referindo apenas a SAC’s e telemarketing, que é a primeira coisa que nos vem em mente. Nesse ponto eu falo da necessidade do consumidor em saber que as empresas se importam com ele e com os problemas dele. Aí entra em cena o marketing de relacionamento, outra vertente forte do marketing que está cada dia mais em evidência.

A internet, o celular e a televisão fazem agora papel fundamental na decisão de compra desse novo consumidor, porém, a internet sai na frente com certeza. Com um clique ele compara produtos, pesquisa suas funcionalidades, garimpa preços, fazendo uma compra mais racional e programada. Ele faz tudo de caso pensado! 🙂

E como devemos lidar com esse novo consumidor?

žHonestidade, atenção e muita paciência! Não que todo esse cuidado não devesse existir antes disso, porém agora nada passa despercebido aos olhos dessa águia. Munido de informações precisas ele vai tomar a sua melhor decisão de compra. O neoconsumidor é aquele “self-service” do restaurante, sabe? Ele faz o que quiser, consome o que quiser e ninguém passa a perna nele não.

Para finalizar essa teoria toda: com tantos canais digitais, o consumidor tem acesso a vários tipos de informações e pode escolher como obtê-las de acordo com a sua comodidade. Cabem às marcas/empresas se adaptarem à grande quantidade de veículos que a vida moderna oferece hoje, como internet, smartphones, TVs interativas, e com isso conseguir chamar a atenção do seu público-alvo.

Viu só quanta informação? Não é apenas necessário aparecer, mas também estabelecer um relacionamento muito mais consistente com os clientes, através dos diversos canais e formatos de venda.

E você, está preparado para mais essa mudança? Curtiu aprender um pouco mais sobre o neoconsumidor ou o consumidor do futuro? Me escreve aí sobre as suas experiências. 😀


Ps.: Não quero matar o PDV. 🙁