Como ferramenta indispensável do inbound marketing, o site corporativo é mais do que o cartão de visitas de uma empresa no ambiente digital. Ele é, na verdade, um ponto de convergência estratégico para diversas ações do plano de marketing de uma organização.

Além de abrigar conteúdos estrategicamente pensados para atração, conversão e fidelização do seu público, o site é um espaço com incrível potencial de monitoramento, o que significa, na prática, que por meio do acompanhamento das métricas relevantes para o canal é possível investir tanto na otimização do próprio site como promover uma aproximação real com seu público-alvo.

Assim o gestor consegue descobrir como esses usuários se comportam na rede, em quais canais estão, quais são os temas de seu interesse, com que tipo de conteúdo estão dispostos a interagir e o que pode ser feito para melhorar sua estratégia de inbound marketing. E se você também deseja otimizar o site da sua empresa para garantir melhores resultados, veja no post de hoje quais métricas digitais realmente podem dar pistas do caminho a seguir:

Visitantes únicos x recorrentes: otimizando seu site

Por meio de uma ferramenta de web analytics escolhida para monitorar seu site é possível acompanhar uma série de métricas referentes ao tráfego dentro do mesmo. A taxa de visitantes únicos, por exemplo, refere-se ao número de pessoas que acessaram seu site em determinado período uma única vez. Além de indicar que seu site tem um potencial satisfatório em termos de atração orgânica — seja por meio das campanhas patrocinadas ou pelo uso adequado de técnicas de SEO, inclusive na arquitetura do site —, boas taxas de visitantes únicos mostram que você possivelmente está entregando conteúdo atrativo.

Porém, mais do que atrair gente nova para seu canal é preciso cativar essas pessoas para que elas realmente evoluam pela jornada do comprador e sejam convertidas em clientes. E uma forma de avaliar se seu site também está cumprindo com essa tarefa é comparando a taxa de visitantes únicos com a de visitantes recorrentes. Se os visitantes voltam ao canal é sinal de que seu conteúdo é bom o suficiente para que o público o veja como referência, retornando para buscar novas informações. Esse ciclo, em que o consumo de conteúdo por um mesmo usuário se repete, é fundamental para a efetividade de toda sua estratégia de inbound marketing. Por isso é mais que recomendável ficar atento a essa métrica.

Caso você possua bons índices de visitantes únicos, mas tenha uma taxa de visitantes recorrentes inferior a 15%, fique alerta! Isso é sinal de que seu conteúdo até funciona bem para atração, mas possivelmente não está adequado para seu público nos dois últimos estágios da jornada do comprador: o estágio de consideração, quando o usuário sabe que tem um problema a ser resolvido e está considerando as possíveis soluções, e o estágio de decisão, quando o usuário está pronto para investir na solução para seu problema, passando a avaliar se sua empresa é mesmo a melhor opção para tal. Se esse for o caso do seu negócio, aposte na produção de materiais com dicas que abordem diretamente como funcionam seus produtos ou serviços, tutoriais, cases de sucesso de seus clientes e ajude seus leads a evoluírem por essas fases!

Fontes de tráfego: potencializando investimentos em SEO

Entender de onde vêm os visitantes do seu canal é uma ótima maneira de otimizar tanto o site em si como as ações do seu plano de inbound marketing. Essa métrica mostra se seus visitantes vieram direcionados por um link patrocinado, por um post em uma rede social, por um link divulgado em outro canal, por meio da busca orgânica no Google ou se eles digitaram sua URL diretamente no navegador.

Se sua fonte de tráfego principal são os links patrocinados, por exemplo, você poder ampliar seus investimentos nas campanhas de AdWords — inclusive Facebook Ads — e até mesmo ampliar o uso das palavras-chave relacionadas a essas campanhas nos conteúdos e na arquitetura do seu site. O fato de um anúncio estar funcionando bem em termos de conversão para seu canal indica também que ele está realmente aparecendo para o público certo da sua empresa, o que confirma o uso das melhores palavras-chave para seu negócio. Aproveite esse insight e otimize o conteúdo da sua página com essas palavras!

Taxa de rejeição: abandonando maus hábitos

Outra métrica que pode ajudar demais a otimizar seu site é a taxa de rejeição, que indica a porcentagem de novos visitantes que abandonam seu canal imediatamente após o acesso ou sem que houvesse um nível de interação satisfatório. Além de importante como pista para a relevância do seu conteúdo e da navegabilidade do seu site — sim, as pessoas podem abandoná-lo, por exemplo, porque um conteúdo demora a carregar ou porque acessaram via celular e perceberam que o site não é responsivo —, é possível avaliar as taxas de rejeição de páginas específicas.

Assim, se você observa uma taxa de rejeição significativa em uma determinada página do seu canal, reveja seu conteúdo, sua navegabilidade e seu layout. Se estamos falando de uma landing page, por exemplo, avalie se o formulário não está grande demais ou se ela realmente cumpre a promessa feita no link que levou o usuário até lá. Muitos visitantes podem ser atraídos para baixar um conteúdo do seu site simplesmente porque você criou uma chamada para ação irresistível nas redes sociais, mas acabaram se decepcionando ao clicarem no link e perceberem que o que você está oferecendo na landing page não condiz com o CTA.

Páginas mais e menos populares: fazendo seu conteúdo brilhar

Saber quais são as páginas mais e menos populares do seu site é imprescindível para conhecer seu público-alvo e, claro, potencializar seu conteúdo. Assim, se uma página do site ou blog recebe muitas visitas e possui bons níveis de engajamento, fique de olho, porque além da abordagem e do layout serem corretos para seu público, seu conteúdo certamente é o que seu público está buscando.

Então pense em como abordar o conteúdo da maneira mais completa, original e aprofundada possível em outros posts, apostando na divulgação dessas produções até nas redes sociais.

Taxa de conversão: esclarecendo os estímulos

Toda estratégia de marketing digital busca, em algum nível, a conversão, seja ela de visitantes em leads — aqueles que entram espontaneamente para sua base de contatos — ou de leads em clientes. A verdade é que converter é um dos principais objetivos de todo plano de marketing que se preze! Por isso, essas taxas precisam ser sempre acompanhadas dentro de um site.

Boas taxas de conversão indicam, além da relevância do conteúdo, a qualidade das chamadas para a ação e a correta estruturação da página. Se você possui um conteúdo de qualidade, com bom engajamento, repleto de comentários e compartilhamentos, mas que não converte leads satisfatoriamente, por exemplo, avalie a clareza das seus calls to action e veja se seus formulários para cadastro de novos contatos estão bem posicionados nesse conteúdo. Já pensou que, muitas vezes, o usuário não age conforme planejamos simplesmente porque o estímulo não foi claro o suficiente para ele?

E você, já utiliza as métricas certas para acompanhar e otimizar seu site? Comente aqui e nos conte quais delas já fazem parte dos seus processos! Compartilhe suas experiências conosco e enriqueça nosso post!