Outbound e inbound: o outbound marketing ainda é bastante utilizado pelos gestores, tratando-se de um modelo em que a empresa sai mesmo à caça dos clientes, no melhor estilo Pac-Man de ser. Já o inbound marketing chegou para inverter essa situação, colocando o consumidor no papel do Indiana Jones, realmente em busca da arca perdida, por pura, livre e espontânea vontade. Quer entender melhor a diferença entre essas formas de marketing e nos leads que elas geram? Então confira agora mesmo nosso artigo:

Afinal, o que são os outbound leads?

São aqueles que são captados por meio de algum sistema de prospecção ativa. Isso se dá, muitas vezes, pela execução de algum banco de dados ou de listas de mailing fornecidas por terceiros, por exemplo. O que vem depois é o trabalho de entrar em contato com esses clientes em potencial, marcando reuniões para a apresentação de produtos, oferecendo orçamentos sem compromisso, enviando cupons de desconto e assim por diante.

E a respeito dos inbound leads?

Eles são gerados a partir de um método de disponibilização de conteúdos relevantes como forma de atrair contatos. Nesse caso, o cliente em potencial se interessa pelo material publicado no blog, no site, na rede social ou em qualquer outra forma de mídia, fornecendo seu contato para que se inicie uma relação com a marca. Mas com que finalidade? Conversão em vendas e fidelização, sempre!

A geração feita por meio do inbound marketing se dá principalmente chamando a atenção de internautas estranhos ao universo do empreendimento. E isso é feito por meio dos já citados conteúdos postados e divulgados, principalmente nas redes sociais. Ao ter contato com o artigo que despertou seu interesse, o cliente tem a oportunidade de preencher um formulário simples, por meio do qual fornece alguns dados nada comprometedores — que podem se limitar, em um primeiro momento, a nome e e-mail, por exemplo —, iniciando, dessa forma, uma relação mais estreita com a marca.

Então quais são as maiores diferenças?

Uma das principais diferenças está no fato de que, para o outbound, o empreendedor precisa ir em busca das informações, enquanto no cenário criado pelo inbound, a informação do potencial cliente é conseguida pelo próprio interesse espontâneo dos consumidores.

Nessa batalha, certamente os gerados pelo inbound sempre levarão vantagem no contexto do marketing digital, especialmente em função de serem baseados em contatos segmentados, ou seja, que realmente podem ter algum interesse no produto ou serviço oferecido. Isso sem contar que esses contatos ainda podem realizar algum upgrade em suas compras na fase de encantamento com a marca.

Já os outbound, caso sejam bem utilizados — por meio de um bom serviço de e-mail marketing, por exemplo, por mais que as listas de contato de terceiros geralmente não demonstrem ser muito eficazes —, podem servir como recurso em épocas de baixa geração de leads. Mas isso, é claro, com uma estratégia de prospecção muito bem elaborada no que diz respeito ao modo de abordar o cliente.

Agora comente aqui se ainda tem dúvidas a respeito da geração de leads de diferentes formas? Compartilhe conosco os seus questionamentos e experiências nos comentários!