O consumidor mudou. O mercado mudou. Então o marketing também não pode ser o mesmo, certo? Hoje em dia, desde as maiores às menores empresas já adotam uma estratégia de inbound marketing. Algumas delas inclusive usam essa modalidade na base da exclusividade, atraindo consumidores com conteúdo em vez de anúncios.

Quer entender melhor por que deve adotar uma estratégia de inbound marketing e conhecer as principais diferenças dessa proposta em relação ao marketing tradicional? Então acompanhe:

Consumidor mais forte

Até os anos 90, a TV aberta, jornais, revistas e a lista telefônica — nessa ordem — eram as principais fontes de informação do consumidor. Assim, a estratégia dominante era bombardear esse consumidor com mensagens, realmente interrompendo sua atenção. Mas esse ecossistema de informações mudou muito. Vieram a TV a cabo, a internet e o smartphone, e, com eles, mais poder para as pessoas decidirem qual conteúdo consumir. Atualmente o consumidor usa, cada vez mais, aplicativos para bloquear anúncios na internet e assiste a seus filmes e programas de televisão favoritos sem ver uma propagandinha sequer. O consumidor está cada vez mais sofisticado e menos exposto ao marketing tradicional, o que, obviamemte, reduz sua eficiência.

Informação é poder

Com a onipresença dos smartphones, hoje o consumidor médio já passa praticamente todo o tempo conectado. A não ser que esteja dormindo. Nesse cenário, a demanda e o consumo de informação são maiores do que nunca. Assim, quem pauta sua oferta de informação sai na frente. “Googlar” virou verbo comum e as pessoas recorrem diariamente à internet para resolver problemas sobre como declarar o Imposto de Renda, aprender uma determinada receita, comparar preços e descobrir mais sobre inbound marketing. Atualmente, a maioria dos usuários brasileiros de internet pesquisam na rede sobre produtos antes de comprá-los offline. Como é o consumidor quem corre atrás da informação, é melhor para sua empresa que essa informação esteja pronta e seja fácil de achar, não concorda?

Resultados sem palpites

Nem o supermercado mais sofisticado do mundo consegue medir seu desempenho com tanta precisão quanto um simples e-commerce que use o inbound marketing. Todos os passos no mundo digital são medidos: a audiência do site, a taxa de rejeição das páginas, os termos de pesquisa que levam aos produtos, os posts mais populares, as redes sociais que trazem os melhores compradores. Seja você um diretor que precisa justificar investimentos a um escalão mais alto da empresa ou o presidente querendo entregar resultados para os acionistas, o inbound marketing o deixa completamente municiado com dados. Não existe achismo! O que dá certo e o que dá errado pode ser medido diariamente e os ajustes podem ser feitos constantemente. No marketing tradicional, ao contrário, é difícil medir, por exemplo, quanto das vendas devem ser atribuídas a uma promoção e quantas são simplesmente sazonais. O inbound veio para resolver esse impasse.

Marca é autoridade

O inbound marketing consiste em práticas para entregar conteúdo relevante. O marketing de conteúdo produz e constrói o caminho. Uma das vantagens dessa produção é que a marca da empresa se estabelece como autoridade no assunto, até mesmo para os que ainda não são clientes. Imagine uma grife de roupas masculinas que mantenha um blog com dicas de etiqueta, moda, vestuário e assim por diante. O consumidor que navega ali pode não comprar uma gravata nova esta semana, mas certamente o diferencial da oferta de informações contará pontos em relação a decisões de compra mais adiante. Para produtos e serviços especialmente sofisticados, complexos ou caros, como softwares B2B, o conteúdo pode ser essencial para esclarecer aos tomadores de decisão sobre suas vantagens.

Agora que você já sabe quase tudo sobre o inbound marketing e suas estratégias, comente aqui e nos conte suas impressões! O que ainda está esperando para definir sua estratégia de inbound? Compartilhe suas opiniões e experiências conosco!