Escrever realmente não é tarefa fácil. Até mesmo quem estudou para isso e aprendeu algumas técnicas ainda passa pelo trauma da folha em branco. No geral, o mais difícil mesmo é começar, depois o texto flui com mais facilidade. Porém, quando direcionamos essa proposta para profissionais que não estão habituados com a produção de conteúdo, a resistência parece um pouco maior.

A seguir listamos alguns pontos que costumam aparecer como justificativa nessa hora e como é possível eliminar essas objeções. Além disso, contamos também como nosso cliente abraçou esse desafio!

Deixe a equipe segura

É bem comum ouvir das pessoas as dificuldades que elas têm para redigir algum material. E isso passa até mesmo pela falta de conhecimento da língua portuguesa – aí entra o medo de cometer algum erro – e também por algum bloqueio na hora de se expressar.

Nesse caso o interessante é deixar o profissional mais seguro, informando que o conteúdo passará por uma revisão de gramática e também adequações de formato: linguagem, se a ideia está clara para o leitor, se o texto está escaneável, entre outras.

Defina uma pauta

Esse ponto é super importante! Começar a escrever sem um rumo definido é um caos, o texto vai acabar falando de tudo e de nada ao mesmo tempo. A pauta precisa ser clara e objetiva:

Pousadas em Minas Gerais >>> Isso não é uma pauta!

5 pousadas em Minas Gerais para curtir a natureza e gastar pouco >>> Isso é uma pauta! 🙂

A pauta é o primeiro passo para a produção de um bom conteúdo. Por isso, se você ficou com a missão de fazer os profissionais da empresa escreverem, dedique muita atenção nessa etapa. É ela que vai direcionar o texto, por isso, além do tema, é preciso pensar também em uma descrição bem prática do que o conteúdo irá apresentar (de preferência com tópicos) e algumas referências.

É aqui também que podem aparecer comentários do tipo “mas não sei sobre o que escrever…”. As pessoas compartilham conteúdos diariamente, muitas vezes só falta o insight delas para perceber que aquele é um material interessante também para o blog da empresa.

Algumas dicas podem ajudar:

  • As ideias que surgirem no cafezinho, numa ligação com o cliente, assistindo a algum vídeo, enfim… elas devem ser anotadas!
  • Para não ficar dúvidas, a ideia de conteúdo pode ser validada em conjunto com a equipe.
  • As dúvidas que aparecem nas conversas com o cliente ou as dificuldades que eles relatam em algum momento podem ser transformadas em pautas.

Crie um calendário de publicações

Se você chegar um dia na empresa e soltar: “e aí, pessoal, vamos começar a escrever?!”, esqueça, a chance é grande de morrer na praia. Não espere que seus colegas saiam escrevendo espontaneamente, afinal, eles têm uma série de responsabilidades na rotina.

Por isso, além de deixar claro qual é a importância daquilo e por que eles são essenciais para o sucesso dessa estratégia, é preciso tomar medidas mais práticas. Um calendário de conteúdo pode ser bastante útil: coloque o tema, nome do responsável, data de entrega e mantenha o documento atualizado. Isso também irá lhe ajudar no momento em que alegarem falta de tempo para a produção dos materiais pois, com uma agenda organizada, é possível estabelecer um prazo justo para todos da equipe.

Importante:

  • A equipe deve encarar essa produção como algo que faz parte da rotina de trabalho e não como uma atividade extra. Nada de fazer post no final de semana!
  • Tenha uma frequência definida.
  • Oriente que essa atividade não deve ficar para a última hora.
  • Deixe claro que não entregar algum conteúdo significa furar um calendário de publicações e impactar a estratégia de marketing da empresa.

Experiência no cliente

O Grupo Meta é uma empresa que oferece soluções em contabilidade, gestão de pessoas, sistemas e folha de pagamento. Há dois anos atendendo eles, já produzimos uma quantidade bem grande de conteúdo. Porém, a maioria deles está no topo do funil,  já que começamos do zero e era preciso resolver primeiro essa demanda.

Percebemos que atendemos bem o estágio de consciência na jornada de compra do cliente. No entanto, as etapas de consideração e decisão, em que eram necessários conteúdos mais específicos, ainda eram bem carentes de materiais.

Então, a ideia foi levar a produção desses conteúdos mais específicos para dentro do cliente. Como eles não tinham contato com o marketing de conteúdo, as conversas iniciais foram para esclarecer alguns conceitos de inbound marketing e fazer com que os profissionais entendessem o porquê desse trabalho, afinal, o conhecimento da empresa estava justamente com eles.

Quinzenalmente fizemos encontros com a equipe – formada por 10 profissionais com cargos de liderança e responsáveis por algumas áreas – e discutimos as pautas, dando os direcionamentos necessários e orientações sobre como produzir os conteúdos. Além de posts mais de fundo de funil, a equipe trouxe diversos cases em diferentes áreas de atuação do negócio. Aqui, aqui e aqui você pode ver alguns exemplos de materiais já publicados.

O projeto é um piloto e ainda está rodando, mas já conseguimos perceber que houve grande engajamento da equipe. Os profissionais compraram a ideia e entenderam a importância do trabalho pensando na jornada de compra que o consumidor percorre até fechar negócio. Como são eles que estão na linha de frente atendendo o cliente e fechando propostas comerciais, muitas pautas surgiram justamente de questionamentos e problemas que ouvem no dia a dia.

O mais bacana é que depois de um tempo, eles começaram a produzir os conteúdos naturalmente, a pensarem em assuntos para as próximas pautas e fazerem contatos com clientes que são cases potenciais do Grupo Meta.

Está complicado extrair conteúdo da equipe? Fale com a gente, podemos trocar uma ideia sobre o assunto e lhe ajudar a resolver todas as etapas da jornada de compra com um conhecimento que está dentro do próprio negócio!