Business Intelligence é um conceito muito abstrato que acaba gerando inúmeras dúvidas para quem está iniciando no marketing digital e não sabe como administrar esse emaranhado de informações.

Essa metodologia tem como princípio básico tomar decisões estratégicas e inteligentes para gerenciar seu negócio, trazendo informação no momento certo, para o público certo e no formato certo. A ideia é transformar um volume de dados e informações coletadas de diversas fontes, em dados qualitativos.

 

Árvore de decisão

A árvore de decisão é um mapeamento das variáveis relacionadas às KPIs do seu negócio, com possíveis causas, além de ações decisivas que devem ser tomadas para reverter ou estabilizar os indicadores.

Para iniciar sua árvore de decisão, inicialmente realize um mapeamento de todos os dados e variáveis que se relacionam e influenciam nas métricas definidas. A partir daí, é só monitorar e verificar anomalias destes KPIs. Nesta etapa, é importante criar ações de reversão para cada caso otimizando o tempo (possíveis causas > ações de reversão).

 

Para iniciar esse processo de levantamento de informações e transformar dados em estratégias eficazes, estruturamos um passo a passo da rotina do profissional de BI:

 

Pré projeto

Ao iniciar um projeto, devemos realizar algumas etapas para obtermos informações exatas das causas e ações que podem ser revertidas:

 

  1. Entender todos os pontos do briefing, principalmente os objetivos. Liste todos os objetivos do negócio, separando-os entre principal e secundário;
  2. Analise todas as ações e ambientes citados no briefing;
  3. Defina todas as métricas e KPIs e construa uma mapa de métricas;
  4. Elabore um material com a definição de todos os entregáveis, com modelos e periodicidade;
  5. Desenhe um fluxo de trabalho e momentos que definem o sucesso destes objetivos;
  6. Faça todas as configurações técnicas e o setup das ferramentas que você irá utilizar;
  7. Neste momento, deverá ser realizada uma análise preditiva e uma projeção dos resultados esperados.

 

Início do projeto

  1. Estruturar a base de dados em tabelas;
  2. Faça o monitoramento (tracking). Nesse estágio podem ser criados relatórios periódicos para acompanhamento (flash reports);
  3. Ajustes iniciais do projeto conforme primeiros resultados (teste A/B);
  4. Cruzamento e análise de maior volume de dados (métricas e KPIs);
  5. Interpretação dos dados e geração de insights.

 

Pós projeto

  1. Coleta e organização final de dados gerais;
  2. Criação de Web Reports e Dashboards. Aqui você encontra uma ferramenta do Google para customização de relatórios, o Google Data Studio.

 

Pra te ajudar no dia a dia, juntamos algumas das principais nomenclaturas de BI e marketing digital para tirar todas as dúvidas sobre as principais palavras e siglas. Confira:

 

A

  • Ad Tech/ advertising technology: softwares, tecnologias e serviços desenvolvidos para servir o ambiente de publicidade online.
  • AdServer: ferramenta de gestão e distribuição de publicidade online.
  • AdNetwork: rede de publicidade em diversos sites afiliados.

 

B

  • Bounce Rate: taxa de Rejeição; visitas de uma única página, sem interação.
  • Behavioral Targeting: segmentação do consumidor de acordo com o seu comportamento online.

 

C

  • Call To Action (CTA): texto de um anúncio ou botão presente em qualquer ambiente digital que serve para incentivar o usuário a interagir.
  • CTR: métrica utilizada para medir a taxa de qualidade que um banner ou outra peça publicitária gerou, através do percentual de cliques. É calculado dividindo o número de cliques pelo número de impressões do banner.
  • CPA: custo por ação.
  • CPL:  custo por lead.
  • CPC: custo por clique.
  • CPM: custo por mil impressões.
  • Cookie: um pequeno arquivo com algumas informações que é armazenado no browser e tem o propósito de identificar as atividades da audiência durante visitas ou sessões.
  • Connect Rate: taxa de visitas por cliques. Serve para entender se há algum gap de tecnologia entre cliques e visitas ao site.
  • CMS: Content Management System. Ferramentas para a criação de páginas na web e gerenciamento de conteúdo.

 

D

  • Dashboard: painel de indicadores e métricas modular com gráficos e tabelas.
  • Data-Driven marketing: ações de marketing orientadas com base nas informações sobre o cliente.
  • Data Provider: ferramenta de dados transformam a internet em uma estrutura de dados, que após processados, indicam insights para tomadas de decisão.

 

E

  • First Party Data: dados traçados com base no comportamento, ação e interesses do consumidor nas propriedades digitais da empresa.

 

K

  • KPI: Key Performance Indicator (Indicador Chave de Performance). Saiba mais sobre KPI aqui.
  • KPO: Key Performance Objective (Indicador Chave de Objetivo [do negócio])

 

L

  • Landing Page: é a página de destino ou de entrada. A página por onde o visitante chega em um site, após clicar em um anúncio de banner ou links patrocinados.
  • Leads: do inglês, significa persuadir. Toda ou qualquer ação do usuário (contato, download, assinatura de newsletter) que indique o seu interesse em uma possível conversão final.

 

P

  • Pageviews: visualizações das páginas de um site.
  • Parametrização: processo de etiquetamento de URLs para a identificação classificada de informações nas ferramentas de Web Analytics.

 

R

  • ROI: Return on Investment. Cálculo do custo-benefício com relação aos investimentos.
  • RTB: Real Time Bidding. Processo de compra de mídia em tempo real.

 

S

  • Second Party Data:  são informações de first party compartilhadas. Dados disponibilizados por empresas parceiras.

 

T

  • Tagueamento: processo que envolve a implementação de códigos específicos (Web Analytics, AdServer, Mapa de Calor) dentro do código-fonte de um ambiente digital para a captura e contabilização de dados e métricas dos usuários que acessam e navegam nestes ambientes.
  • Third Party Data: dados gerados por meio de outras plataformas. Podem ser dados inferidos ou observados. Data Providers fornecem este tipo de dado.

 

W

  • Web Analytics: software/ferramenta online de análise de métricas de acessos e navegação de ambientes online.
  • Wireframe: guia usual e visual básico para sugerir a estrutura e as interações de navegação de um ambiente online.

 

Agora que você já conhece alguns dos principais termos de Business Intelligence, está na hora de começar a coletar informações relevantes e enfim, criar estratégias direcionadas. Caso interessa saber um pouco mais sobre planejamento estratégico, acesse nosso blog e passe a colocar o BI na prática.