Com a concorrência voraz no mundo dos negócios, torna-se fundamental obter destaque em meio a essa competição. É nesse cenário que as empresas precisam vender seus produtos e serviços a partir de estratégias eficientes e adequadas ao mercado em que estão inseridas.

Para atingir o resultado esperado, é essencial ter uma marca forte — e isso é possível por meio de um bom trabalho de branding e design, mesmo não sendo uma grande empresa.

Por isso, nesse artigo abordaremos alguns pontos importantes, que servirão de auxílio na concepção da marca de uma empresa, seja ela pequena, média ou grande. Vamos lá?

O que é uma marca?

Antes de tudo, é fundamental entender o que é uma marca. Trata-se de uma lembrança presente na mente das pessoas, que cria laços emocionais difíceis de serem rompidos. Uma marca forte é resultado de um sentimento de lealdade, ou seja, dificilmente esse vínculo entre empresa e consumidor é quebrado.

No geral, uma marca tem 3 benefícios, referentes a aspectos:

• Funcionais: sanando problemas por meio de sua função;
• Emocionais: gerando sensação positiva;
• Simbólicos: pertencendo a um grupo ou estando em destaque diante dele.

Nesse universo, é importante explicar — e diferenciar — os conceitos de branding e design. O primeiro é uma palavra de origem inglesa, sem tradução para o português, que significa investir na construção e na gestão de marcas.

Já o segundo diz de um elemento essencial para agregar valores, ambientes e serviços. O design é uma ferramenta que busca melhorar processos e produtos ao solucionar problemas das pessoas. No entanto, para o senso comum, o design fica atrelado apenas aos aspectos visuais de uma marca: sua estrutura física, sua identidade visual e até mesmo a parte gráfica da marca.

Qual a importância de uma marca?

O envolvimento com uma marca ocorre pela presença na vida do cliente. Marcas de pequenas empresas impactam da mesma forma que as de grandes companhias, a diferença está no alcance que acaba sendo menor no caso de um pequeno negócio.

Portanto, o cuidado com a imagem da marca deve ser o mesmo, não importando o tamanho da empresa. Afinal, as marcas devem ter uma razão de existir. A Apple, por exemplo, fabrica produtos com design atraente e interfaces intuitivas, tendo como propósito a inovação.

Essa perspectiva é muito importante no caso de um pequeno negócio. O posicionamento de uma marca deve funcionar como uma ferramenta de gestão, em que branding e design devem andar de mãos dadas.

Como aliar branding e design como estratégia para PMEs?

O ponto de partida deve ser sempre o propósito, que é o direcionador inicial da marca, sua razão de existir, a visão de mundo do empreendedor. Essa definição pode vir de valores pessoais, da própria vontade de transformar algo ou até de facilitar algum processo.

O propósito deve responder a perguntas como: por que a marca existe? O que mobilizou o empreendedor? Qual problema ela pretende resolver? Ela representa o público que pretende atingir? Isso é branding. Mas como aliar esse entendimento às práticas de design?

Basta definir todos os elementos operacionais do negócio se baseando nestes valores. Encontre cores que explicitem aquilo que você pretende passar, adapte a linguagem com a qual vai interagir com seus consumidores de acordo com a imagem que pretende construir na mente deles.

Vale a pena investir em branding e design para PMEs?

Com certeza! É preciso aplicar estas estratégias em todos os pontos de contato da empresa (arquitetura de loja, design de embalagem, materiais promocionais etc.), já que elas trabalham em prol da mesma formação de imagem da marca.

Para as pequenas e médias empresas, investir em branding e design possibilita a construção de uma marca forte, relevante e adequada, que tem uma imagem coerente e pautada nos valores que contribuíram para a sua criação.

E aí? Está convencido da importância de investir em branding e em design? Então, compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais.