Quem acompanha as inovações do Big Data já sabe do potencial dessa tecnologia para transformar os resultados comerciais de uma empresa. Mas será que os demais colaboradores compartilham dessa opinião?

Historicamente, as pessoas têm tomado decisões de negócios com base em suas experiências passadas e no famoso instinto de empreendedor. Basear-se em dados, portanto, é um fenômeno relativamente recente.

Seu negócio está preparado para dar o próximo passo e investir na análise de dados? Confira agora as vantagens do Big Data e entenda como implementar essa cultura na sua empresa!

A necessidade de transformação da cultura organizacional

Para alguns profissionais, esse novo estágio não é fácil de ser entendido ou apreciado. Muitas são as dúvidas e objeções, e pode haver quem considere que o Big Data é apenas outra moda passageira em termos de gestão.

Isso acontece porque, até então, todos estão satisfeitos com as análises que vêm realizando até o presente momento, e é esperado que os profissionais apresentem dificuldades em perceber como uma nova abordagem pode ser útil para a tomada de decisões do negócio.

Assim como em qualquer importante mudança estrutural, é preciso que seus colaboradores apoiem a iniciativa. Somente depois que o Big Data tiver integrado a cultura organizacional da empresa, todos poderão ver, em sua totalidade, os benefícios e vantagens obtidas.

A melhor forma de começar é através da elaboração de um projeto específico. A seguir, apresentamos alguns elementos que serão úteis para desenvolver a cultura de dados em sua organização.

Seja claro sobre o que você quer alcançar com o Big Data

Antes de começar a construir uma cultura de dados, você deve ter uma ideia clara sobre o que deseja alcançar por meio do Big Data.

Quais são suas expectativas? Quais áreas de seu negócio você priorizará? Deseja otimizar a supply chain? Necessita segmentar clientes ou prospects de forma mais eficiente? Quer reduzir o risco financeiro?

Antes de comunicar a todos a sua iniciativa, selecione um pequeno grupo de “líderes” — colaboradores capazes de ajudá-lo a desenvolver uma direção inicial para o projeto. Realize pesquisas e elabore um plano básico.

É essencial que você obtenha certo nível de clareza sobre seus objetivos e elementos que envolvem o projeto — antes de tentar convencer outras pessoas a apoiá-lo na construção de argumentações sólidas para o que você deseja alcançar.

Tenha em mente que seus objetivos com o Big Data devem estar alinhados com a estratégia geral da sua empresa. Isso facilitará para o seu pessoal disseminar a relevância do seu projeto de Big Data.

Engaje colaboradores-chave para o projeto inicial de Big Data

O ideal é começar com um projeto de pequeno porte. Assim, você atingirá uma visão mais ampla e prática do que envolve a nova abordagem.

É absolutamente essencial criar um grupo de partes interessadas. Inclua pessoas de setores ou departamentos que se relacionem diretamente ao projeto, bem como colaboradores de outras áreas que atuarão, ainda que secundariamente, junto às atividades propostas.

Por exemplo, se o seu projeto contempla a aplicação do Big Data para aperfeiçoar ações de marketing, você naturalmente precisa envolver o CMO — mas não deve esquecer de também engajar profissionais de TI e de desenvolvimento de produtos.

As principais partes interessadas devem ser responsabilizadas pela execução do projeto, além de atuarem como “embaixadores” dessa mudança cultural.

Com o passar do tempo, você deve delegar funções para profissionais com conhecimentos especializados, instando-os a acompanharem o andamento de outras iniciativas de Big Data.

Estimule a mudança de mentalidade

Nem todos se sentirão motivados, em um primeiro momento, em seu projeto inicial de Big Data. Todavia, há um direcionamento extremamente importante que você precisa definir para o conjunto da organização: a necessidade de tomar decisões baseadas em informações confiáveis.

Essa causa deve ser defendida pelos líderes e gestores: eles devem liderar pelo exemplo, utilizando dados em suas análises e processos de tomada de decisões. A mudança de mentalidade deve servir de estímulo, por meio da exigência de que qualquer apresentação, proposição ou relatório sejam fundamentados em dados.

Todos os colaboradores devem estar cientes da importância de aceitar dados e métricas como imprescindíveis para o sucesso da empresa. Esse deve ser um “ponto pacífico”, sem o qual será inviável construir a cultura de dados dentro da companhia.

Para aumentar as chances de sucesso, é preciso conquistar verdadeiros “evangelizadores”: recompensando colaboradores que adotem abordagens mais orientadas a dados em suas tarefas cotidianas.

Antecipe objeções

Os êxitos passados de sua companhia não foram obtidos com o Big Data. Portanto, espere altos níveis de ceticismo sobre o que pode ser feito a partir de sua implantação. É natural que alguns colaboradores relutem diante de iniciativas, como compartilhar dados entre departamentos.

Outros podem sentir-se ameaçados pela adoção de uma tecnologia que pouco compreendem. É muito importante que você seja capaz de antecipar essas objeções. O que os líderes pensam a respeito do Big Data? Como outros influenciadores se sentem dentro da companhia?

Ao se preparar para o contraditório, você conseguirá responder a preocupações, perguntas e dúvidas, alinhando as prioridades de diferentes profissionais no interior da empresa.

Apele para a emoção

Ao refutar objeções, você deve levar em consideração as respostas emocionais das pessoas. Não há mudanças culturais consistentes que possam ser feitas sem uma estratégia clara a respeito de como tratar ativamente as emoções dos indivíduos implicados.

Quando se trata de utilizar o Big Data para influenciar, os fatos são de pouca importância até que os aspectos psicológicos e emocionais de uma questão importante tenham sido superados.

Isso significa que, por mais paradoxal que pareça, não basta indicar evidências a respeito dos benefícios do Big Data. É preciso apelar às emoções das pessoas e mostrar como essa solução tornará o trabalho delas mais fácil e apoiará o crescimento profissional de cada uma.

Você deve fazer com que se sintam seguras sobre a transição, entusiasmando-as com as novas oportunidades que o Big Data trará, tanto para a empresa em si, quanto para suas próprias carreiras.

Você também deseja criar uma cultura de dados em sua empresa? Que entregar resultados mensuráveis do seu impacto na organização?