Você sabia que as pessoas passam mais tempo trocando mensagens do que utilizando suas próprias redes sociais? Sim, é isso mesmo. Estamos chegando em uma nova era pós-aplicativo, a era dos assistentes virtuais, mais conhecida como a era chatbot.

 

Se isso te faz pensar que os aplicativos vão deixar de existir, você não está enganado, está próximo o dia dos aplicativos darem adeus. Porém, uma boa notícia é que o chatbot estará cada vez mais presente na vida das pessoas, trazendo mudanças na forma de nos comportarmos e no relacionamo com a tecnologia.

 

Tudo isso será possível por meio da Inteligência Artificial (AI), que faz parte de uma combinação de tecnologias voltadas para algoritmos, tendo como fonte principal o machine learning, que faz com que as máquinas aprendam sozinhas por alimentação de dados.

 

Isso é assustador para você? Então, continue a leitura e veja tudo o que temos para te contar.

 

O que é um chatbot?

Chatbot é um software otimizado para conversas online ou, de uma forma mais simples, um robô que conversa com você online. Se você achou que isso seria só coisa de filme, como o “Her”, se prepare porque essa mudança está mais próxima de acontecer do que você imagina.

 

Isso é possível devido à capacidade de chegarmos a imitar  o comportamento humano, por meio de tecnologias como a inteligência artificial. O chatbot pode ser configurado por tom de voz, lista de perguntas e respostas, direcionamentos para os usuários e até para aprender sozinho por alimentação de banco de dados.

 

O chatbot está cada vez mais próximo das pessoas, seja pela Siri (da Apple), o Google Now, WhatsApp, Facebook Messenger ou todos os outros chats disponíveis online. Um estudo apresentado pelo Gartner diz que 85% dos serviços realizados por atendimento ao cliente serão feitos por ambiente virtual até 2020.

 

Quanto à pesquisa da Forrest Research, 84% das pessoas utilizam somente cinco aplicativos por mês, um número realmente baixo diante de tantos aplicativos e ferramentas que temos à nossa disposição. Isso só torna cada vez mais claro que o chatbot deixou de ser tendência e hoje já é uma realidade.

 

Para que serve o chatbot?

A ideia do chatbot é facilitar a comunicação e para isso é importante definir  o seu objetivo de usabilidade. Entre muitas, a principal funcionalidade está no atendimento ao usuário, além de proporcionar novas possibilidades de relacionamento, vendas, resolver dúvidas, conseguir informações e capacitar leads.

 

O atendimento ao usuário via chatbot é uma das principais formas de otimizar um atendimento, eliminando todo o início de processo de coleta de dados, informações, dúvidas e agendamentos. Isso proporciona um envolvimento mais próximo ao cliente e, consequentemente, uma nova forma de relacionamento, tornando todo o procedimento mais eficaz.  

 

Mas, não só de atendimento vive o chatbot. Existem outras funcionalidades em desenvolvimento, como para a área de marketing e vendas, conhecido como Growthbot. Um formato com objetivo de trabalhar o crescimento da empresa, conectado em banco de dados  e plataformas como Hubspot, Google Analytics, entre outros, que oferece de uma forma fácil diversas informações e serviços, como encontrar novos clientes por meio de uma pesquisa.

 

Isso tudo já é possível, mas vai depender de qual tecnologia será usada no seu chatbot.

 

Inteligência artificial e machine learning

Acredito que você já ouviu falar de inteligência artificial e machine learning, certo? Estas tecnologias transformam o chatbot em experiências incríveis e personalizadas, principalmente no atendimento do usuário. E como funciona tudo isso? É simples, já explico. 😉

 

Inteligência artificial tem como ideia recriar a inteligência humana, com o intuito de passar para uma máquina a capacidade de aprender e criar soluções eficientes. O machine learning diz respeito à forma como essa máquina irá aprender, por meio de um grande volume de dados proporcionadas por experiências realizadas. E sabe o que é o mais legal disso tudo? A própria máquina aprende sozinha, com as informações que são passadas para ela analisar e extrair conhecimento.

 

Então, quanto mais tempo você passar com um chatbot, mais ele saberá sobre você e proporcionará um melhor atendimento, podendo até propor conteúdos que têm a ver com você.

 

Já ouviu falar do Nao?

Um humanóide feito com inteligência artificial, capaz de conversar, cantar, andar e até dançar a coreografia da música Thriller, de Michael Jackson. Sim, ele existe. E eu tive a grande oportunidade de conhecê-lo pessoalmente.

 

O Nao é considerado um dos robôs mais avançados do mundo, usado para ensino e pesquisas voltadas para robótica e inteligência artificial. Ele consegue reconhecer a face, a voz e expressões de emoção. A forma como ele foi programado está em constante evolução por meio de sua capacidade de interação.

 

A ideia do Nao foi pensada e desenvolvida para contribuir com o bem-estar da humanidade, usado como ferramenta de ensino para crianças, jovens e adultos. E poder ver isso é incrível, o poder da  tecnologia de transformar algo em realidade para mudar o mundo para melhor.

 

Se temos selfie com o Nao? Lógico que sim!

Adeus, aplicativo e boas-vindas à nova era chatbot

Adeus, aplicativo e boas-vindas à nova era chatbot